sexta-feira, abril 19, 2019
Início Direito Civil II Dos Contratos em Relação a Terceiros - Direito Civil

Dos Contratos em Relação a Terceiros – Direito Civil

-

De acordo com o princípio da relatividade dos efeitos dos contratos, estes somente poderão produzir efeitos em relação às próprias partes, porém, como toda regra a exceções, nosso código civil estipulou condições e hipóteses para que os efeitos de um contrato possam atingir terceiros.

1. Da Estipulação em Favor de Terceiro

Regulada entre os artigos 436 e 438 de nosso código civil, a estipulação em favor de terceiro ocorrerá quando alguém (estipulante) firmar um contrato com outrem (devedor ou promitente) que compromete realizá-lo em favor de terceiro (beneficiário) estranho ao negócio jurídico.

Exemplo: “A” realiza um seguro com a empresa “B” para que, no caso da morte de”A”, tal empresa deverá efetuar determinado pagamento ao beneficiário “C”, sendo este estranho ao contrato.

1.1. Regras para a Estipulação em Favor de Terceiro

  • O estipulante poderá exigir o cumprimento da obrigação.
  • O beneficiário somente poderá exigir o cumprimento da obrigação se anuir ao contrato e ficar sujeito às condições e normas do negócio.
Código Civil – Art. 436: O que estipula em favor de terceiro pode exigir o cumprimento da obrigação.
Parágrafo único. Ao terceiro, em favor de quem se estipulou a obrigação, também é permitido exigi-la, ficando, todavia, sujeito às condições e normas do contrato, se a ele anuir, e o estipulante não o inovar nos termos do art. 438.
  • Não havendo cláusula contrária no contrato, o estipulante poderá substituir o beneficiário sem nenhuma formalidade, sendo necessária somente a comunicação ao devedor.
Código Civil – Art. 438: O estipulante pode reservar-se o direito de substituir o terceiro designado no contrato, independentemente da sua anuência e da do outro contratante.
Parágrafo único. A substituição pode ser feita por ato entre vivos ou por disposição de última vontade.
  • Se houver estipulação de que o beneficiário pode reclamar a execução do contrato, o estipulante não poderá exonerar o devedor.
Código Civil – Art. 437: Se ao terceiro, em favor de quem se fez o contrato, se deixar o direito de reclamar-lhe a execução, não poderá o estipulante exonerar o devedor.

2. Da Promessa de Fato de Terceiro

Presente em nosso código civil nos artigos 439 e 440, a promessa de fato de terceiro ocorrerá quando alguém (promitente) firma um negócio jurídico com outrem objetivando a prestação obrigacional de um terceiro estranho ao contrato.

Exemplo: “A” realiza um contrato de compra e venda com “B” prometendo que “C” irá efetuar o pagamento.

2.1. Regras para a Promessa de Fato de Terceiro

  • Aquele que promete fato de terceiro (promitente) responderá por perdas e danos caso a obrigação não seja realizada.
    • Não haverá a responsabilidade para o promitente quando o terceiro for seu cônjuge e o regime do casamento for de comunhão de bens.
Código Civil – Art. 439: Aquele que tiver prometido fato de terceiro responderá por perdas e danos, quando este o não executar.

- Publicidade -

Parágrafo único. Tal responsabilidade não existirá se o terceiro for o cônjuge do promitente, dependendo da sua anuência o ato a ser praticado, e desde que, pelo regime do casamento, a indenização, de algum modo, venha a recair sobre os seus bens.

  • Não haverá responsabilidade para o promitente quando o terceiro se comprometer em cumprir o contrato.
Código Civil – Art. 440: Nenhuma obrigação haverá para quem se comprometer por outrem, se este, depois de se ter obrigado, faltar à prestação.

Gostou? Compartilhe!

5 Estrelas?

Votos: 0 | Nota: 0

Cola Jurídicahttps://www.colajuridica.com
Tendo como lema: "Direito na palma da mão". O Colá Jurídica enxergou um mundo dominado por concursos na área jurídica e resolveu se preocupar com aqueles que realmente se dedicam ao cumprimento da lei, os estudantes de direito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Redes Sociais

573FãsCurtir
25,769SeguidoresSeguir
1,729SeguidoresSeguir
83InscritosInscrever

Populares

Regimes da Pena Privativa de Liberdade – Direito Penal

Como forma de garantir o princípio da proporcionalidade, a pena privativa de liberdade foi dividida em regimes que visam a progressividade do condenado. Nos primórdios...

Direito Civil – Bens Divisíveis, Singulares e Coletivos