Ação Penal: Conceito, Espécies e Demais Disposições - Direito Penal | Cola Jurídica - Aulas, Resumos e Conteúdo Jurídico

Ação Penal: Conceito, Espécies e Demais Disposições - Direito Penal

Sendo a autodefesa e a autocomposição vedadas em nosso mundo jurídico, o direito de punir se da exclusivamente ao Estado, que irá obter esse direito através de uma ação penal exercida por órgão competente em nosso judiciário.
Há casos específicos onde a autocomposição e a autodefesa são aceitos, como no caso da Legítima Defesa.

1. Conceito de Ação

Por ser inerte, o judiciário necessita de uma ação para iniciar o processo legal. O direito de ação, neste caso, representa o direito individual e constitucional de solicitar ao judiciário o início de uma ação penal para que aja a aplicação do poder punitivo estatal.
CF/88 - Art. 5º, XXXV: A lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito;

2. Espécies de Ação Penal

As espécies de ação penal se diferenciam pelo critério de sua iniciativa. Por regra geral, o Estado, através do Ministério Público possui o Dominus litis, ou seja, possui o domínio de ser o autor da ação, mas, quando descrito de forma específica no tipo penal, a ação penal poderá ser proposta pelo próprio ofendido.
Exemplo:
Crimes Contra a Honra (Artigos: 138, 139 e 140)
Código Penal - Art. 145: Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.

2.1. Ação Penal Pública

A ação penal pública é aquela cujo o Estado detém o domínio e figura como parte autora da ação. Nestes casos, a propositura da ação reger-se-á pelo princípio da obrigatoriedade, ou seja, existindo provas suficientes e inexistindo obstáculos, o Estado não poderá deixar de propor a ação.
Nas ações penais públicas, o Estado será representado pelo Ministério Público que intentará a ação através da denúncia (petição inicial das ações penais públicas).
  • Ação Penal Pública Incondicionada: A ação penal pública incondicionada é aquela onde o Estado irá agir independente do consentimento da vítima.
Código Penal - Art. 100, caput: A ação penal é pública, salvo quando a lei expressamente a declara privativa do ofendido.
  • Ação Penal Pública Condicionada: A ação penal pública é condicionada nos casos onde o consentimento da vítima é necessário para a propositura da ação, ou seja, sem ele o estado não poderá agir.
Código Penal - Art. 100, §1º: A ação pública é promovida pelo Ministério Público, dependendo, quando a lei o exige, de representação do ofendido ou de requisição do Ministro da Justiça.

2.1.2. Irretratabilidade da Representação

Oferecida a denúncia, a representação é irretratável.
Código Penal - Art. 102: A representação será irretratável depois de oferecida a denúncia.

2.2. Ação Penal Privada

A ação penal será privada quando o direito de agir for de interesse exclusivo do ofendido, ou seja, neste tipo de ação o ofendido substitui o Estado na figura do autor e detém o domínio da ação.
Por se tratar de uma ação privada, não há de se falar no princípio da obrigatoriedade. Nesses casos, a propositura da ação reger-se-á pelo princípio da oportunidade, ou seja, é facultativo ao ofendido propor a ação.
Quando houver interesse do ofendido, ele (ou quem tiver qualidade para representá-lo) deverá propor a ação mediante queixa (petição inicial para as ações privadas).
Erroneamente, o senso comum assimila a palavra queixa à frase "vou dar queixa desse crime na polícia", porém o ato de se notificar as autoridades sobre a ocorrência de uma infração delituosa se chama notícia crime.
Queixa: Petição inicial das ações penais privadas.
Notícia Crime: Notificação pública de crime para a ciência de autoridade policial.
Código Penal - Art. 100, §2º: A ação de iniciativa privada é promovida mediante queixa do ofendido ou de quem tenha qualidade para representá-lo.
  • Ação Penal Exclusivamente Privada: A ação penal será exclusivamente privada nos casos onde somente o ofendido (ou seu representante) puder propor a lide.
    • Ação penal privada personalíssima: Será personalíssima a ação penal que poderá ser proposta somente pela pessoa do ofendido, não podendo ser proposta por representantes.
  • Ação Penal Privada Subsidiária da Pública: A ação penal privada será subsidiária da pública nos casos de ação pública que o Ministério Público não oferecer a denúncia no prazo estipulado.
    • Nesses casos o ofendido somente ingressará com a ação, mas o processo será acompanhado pelo Ministério Público.
Código Penal - Art. 100, §3º: A ação de iniciativa privada pode intentar-se nos crimes de ação pública, se o Ministério Público não oferece denúncia no prazo legal.

2.2.1. Extinção da Punibilidade

Extinguem a pretensão do Estado de punir o agente, em relação à ação privada, a decadência do direito de queixa ou de representação, a renúncia expressa ou tácita do direito de queixa e o perdão do ofendido.
2.2.1.1. Decadência do Direito de Queixa ou de Representação 
Salvo disposição em contrário, decai do direito de queixa ou de representação quem não exercer o seu direito no prazo de 6 meses.
  • O prazo começa a contar no momento em que o ofendido souber quem foi o autor do delito.
  • No caso de ação penal privada subsidiária da pública, o prazo se iniciará no memento em que se esgotar o prazo para o Ministério Público oferecer a denúncia.
Código Penal - Art. 103: Salvo disposição expressa em contrário, o ofendido decai do direito de queixa ou de representação se não o exerce dentro do prazo de 6 (seis) meses, contado do dia em que veio a saber quem é o autor do crime, ou, no caso do § 3º do art. 100 deste Código, do dia em que se esgota o prazo para oferecimento da denúncia.
2.2.1.1. Renúncia Expressa ou Tácita do Direito de Queixa
A renúncia ocorre quando o ofendido renuncia ao direito de propor uma ação penal, não chegando a iniciá-la.
  • A renúncia poderá ser expressa ou tácita.
  • A renúncia só poderá ocorrer antes de proposta a ação penal.
Código Penal - Art. 104: O direito de queixa não pode ser exercido quando renunciado expressa ou tacitamente.
Parágrafo único - Importa renúncia tácita ao direito de queixa a prática de ato incompatível com a vontade de exercê-lo; não a implica, todavia, o fato de receber o ofendido a indenização do dano causado pelo crime.
2.2.1.1. Perdão do Ofendido
Sendo semelhante à renúncia, o perdão do ofendido ocorre quando, após iniciada uma ação penal, o ofendido não deseja prosseguir com a mesma, perdoando o réu.
  • O perdão poderá ser expresso ou tácito.
  • No caso de pluralidade de agentes, o perdão concedido a um se estende a todos.
  • No caso de pluralidade de autores, o perdão efetuado por um não prejudica os outros.
  • O réu pode recusar o perdão.
  • O perdão não é permitido depois de transitado em julgado a sentença condenatória.

Aprenda de forma simples e completa sobre a Ação Penal e suas Espécies!

COMENTÁRIOS

 Farelos Jurídicos - Portal Jurídico Sem Barreiras
↓ Continua após a publicidade ↓
Nome

Ação Penal,1,Adimplemento,7,Adimplemento das Obrigações,9,ADVBOX,1,Aplicativos de Direito,1,Arrependimento Eficaz,1,Autoria,2,Bens,6,Bombeiros,1,Classificação das Constituições,1,Classificação das Normas Jurídicas,10,Classificação dos Contratos,1,Classificação dos Crimes,11,Coisas para Saber Antes de Cursar Direito,1,Compensação,2,Concurso de Pessoas,8,Conduta,1,Confusão,2,Conselho Tutelar,1,Consignação,2,Contagem dos Prazos,1,Contratos em Relação a Terceiros,1,Controle de Constitucionalidade,1,Credor Putativo,1,Crime Consumado,2,Crime Impossível,1,Crime Preterdoloso,2,Crime Tentado,2,Crimes de Forma Livre,1,Crimes de Forma Vinculada,1,Crimes Dolosos Contra a Vida,1,Crimes Qualificados pelo Resultado,2,Culpa,2,Culpabilidade,4,Curiosidades,7,Da Estipulação em Favor de Terceiro,1,Da Promessa de Fato de Terceiro,1,Dação,2,Desistência Voluntária,2,Desistência Voluntária e Arrependimento Eficaz,3,Dicas Jurídicas,8,Dicas para Estudantes de Direito,7,Direito à Vida,1,Direito Civil,17,Direito Civil I,6,Direito Civil II,6,Direito Civil: Parte Geral,4,Direito Constitucional,21,Direito Constitucional I,3,Direito Penal,38,Direito Penal I,14,Direito Penal II,17,Direito Penal III,3,Direito Processual,1,Direitos Fundamentais,3,Direitos Humanos,3,Direitos Individuais e Coletivos,2,Do Objeto e da Prova do Pagamento,4,Dolo,3,Dolo Eventual,3,Dos Crimes contra a Pessoa,3,Dos Crimes Contra a Vida,3,Dr. Anísio Gil,1,Economia,2,Elementos Subjetivos do Crime,4,Erro de Tipo,2,Erro de Tipo Acidental,1,Erro de Tipo Essencial,1,Espécies de Ação Penal,1,Espécies de Pena,1,Estado de Necessidade,2,Estrito Cumprimento do Dever Legal,1,Evicção,2,Excludentes,1,Excludentes de Culpabilidade,2,Excludentes de Ilicitude,5,Excludentes de Tipicidade,5,Exercício Regular do Direito,1,Faltas em Aula,1,Fiador,1,Filmes para Estudantes de Direito,1,Formação dos Contratos,1,Formas Especiais de Pagamento,9,Homicídio,1,Igualdade Perante a Lei,1,Ilicitude,6,Imputação,2,Inconstitucionalidade,3,Infanticídio,1,Interrupção e Suspensão,1,Introdução ao Estudo do Direito,6,Iter Criminis,2,Legítima Defesa,2,Lugar e Tempo do Pagamento,3,Macetes,3,Marketing Jurídico,1,Medidas de Segurança,1,Mnemônicos,1,Modalidades das Obrigações,8,Nexo Causal,6,Noções Gerais dos Contratos,1,Nome Sujo,1,Normas Jurídicas,5,Notificação Extrajudicial,1,Novação,2,Obrigações,5,Paradigmas Constitucionais,5,Participação em Suicídio,1,Pena de Multa,5,Pena Privativa de Liberdade,2,Penas,7,Penas Restritivas de Direitos,7,Perfis no Instagram para Estudantes de Direito,1,Poder Constituinte,6,Prática Penal,1,Presentes para Estudantes de Direito,1,Princípios dos Contratos,1,Promessas de Ano Novo,1,Prosa Penal,1,Regimes da PPL,4,Remissão das Dívidas,2,Resultado,1,Resumos,92,Resumos de Direito Civil,29,Resumos de Direito Civil I,16,Resumos de Direito Civil Teoria Geral,5,Resumos de Direito Constitucional,3,Resumos de Direito Penal,54,Resumos de Direito Penal I,41,Resumos de Direito Penal II,13,Resumos de Introdução ao Estudo do Direito,13,Resumos de Obrigações,15,Resumos de Teoria da Constituição,3,Resumos de Teoria do Crime,31,Resumos Direito Civil I,8,Séries sobre Direito,1,Símbolos Nacionais,1,Sub-rogação,2,Teoria da Constituição,17,Teoria do Crime,32,Teoria do Pagamento,5,Teoria Geral dos Contratos,6,Teorias da Culpabilidade,2,Tipicidade,7,Tipo Penal,2,Transmissão das Obrigações,2,Vícios Redibitórios,1,
ltr
item
Cola Jurídica - Aulas, Resumos e Conteúdo Jurídico: Ação Penal: Conceito, Espécies e Demais Disposições - Direito Penal
Ação Penal: Conceito, Espécies e Demais Disposições - Direito Penal
Aprenda de forma simples e completa sobre a Ação Penal. Especialmente sobre as suas formas Pública e Privada e suas demais características.
https://3.bp.blogspot.com/-UESsjJTHffY/XC3W34DsebI/AAAAAAAABYA/fPsd_2EYme8j3pQdyqJxqDM6carqSHvFgCLcBGAs/s640/PENAL---A%25C3%2587%25C3%2583O-PENAL.jpg
https://3.bp.blogspot.com/-UESsjJTHffY/XC3W34DsebI/AAAAAAAABYA/fPsd_2EYme8j3pQdyqJxqDM6carqSHvFgCLcBGAs/s72-c/PENAL---A%25C3%2587%25C3%2583O-PENAL.jpg
Cola Jurídica - Aulas, Resumos e Conteúdo Jurídico
https://www.colajuridica.com/2019/01/acao-penal-direito-penal.html
https://www.colajuridica.com/
https://www.colajuridica.com/
https://www.colajuridica.com/2019/01/acao-penal-direito-penal.html
true
5251343710770382667
UTF-8
Carregar todas as postagens Nada parecido foi encontrado VER TUDO Leia mais Responder Cancelar Resposta Deletar Por Início PÁGINAS POSTAGENS Ver Tudo RECOMENDADAS PARA VOCÊ CATEGORIA ARQUIVO PESQUISAR TODAS AS POSTAGENS Nenhum resultado encontrado Voltar para o Início Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo Seg Terç Qua Qui Sex Sab Dom Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outrubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora 1 minuto atrás $$1$$ minutes ago 1 hora atrás $$1$$ hours ago Ontem $$1$$ days ago $$1$$ weeks ago mais de 5 semanas atrás Seguidores Seguir CONTEÚDO PREMIUM PASSO 1: Compartilhar. PASSO 2: Clicar no link para desbloquear Copy All Code Select All Code All codes were copied to your clipboard Can not copy the codes / texts, please press [CTRL]+[C] (or CMD+C with Mac) to copy